saiba como consultar e resgatar valores a receber

0
13


A chegada de 2024, como em todo novo ano, vem junto com despesas típicas do período. Mas há uma chance de aumentar a renda. De acordo com dados mais recentes do Banco Central, há mais de R$ 7,5 bilhões parados em contas inativas de bancos e outras instituições que podem ser resgatados por meio da plataforma Valores a Receber.

Do total esquecido, cerca de R$ 6 bilhões pertencem a mais de 40 milhões de brasileiros. O restante da quantia é dinheiro de empresas.

A plataforma oferece também a possibilidade de consulta a valores de pessoa falecida, com acesso para herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal. Para realizar essa consulta é preciso informar o CPF e a data de nascimento da pessoa falecida.

Para saber se você tem dinheiro nessas contas, é preciso acessar a página Valores a Receber que fica no site do Banco Central. Por lá, também é possível solicitar a devolução dos valores. Veja o passo a passo de como realizar a consulta e como resgatar o dinheiro:

Como consultar o dinheiro esquecido:

  1. Clique em “Consulte valores a receber”;
  2. Preencha os campos com os seus dados;
  3. Clique em “Consultar” e confira;
  4. Caso você tenha valores a receber, basta clicar em “Acessar o SVR”. É preciso ter uma conta gov.br de nível prata ou ouro para entrar SVR.
  5. Preste atenção à data que o Sistema de Valores a Receber vai informar. Essa data será um agendamento, e você poderá consultar os valores e informar os dados para a transferência nesse dia. O agendamento será feito de acordo com sua data de nascimento. No caso das empresas, de acordo com a data de criação da companhia;
  6. Na data agendada, acesse novamente o site valoresareceber.bcb.gov.br, usando seu login gov.br para saber qual o valor disponível para saque e solicitar a transferência;
  7. Se você perdeu a data do agendamento, basta entrar novamente no site valoresareceber.bcb.gov.br e solicitar novo acesso. O sistema vai informar nova data para o retorno.

Onde pode ter mais dinheiro esquecido

Além do valores a receber, há outras possibilidades para conseguir um dinheiro extra nesse início de ano. Como O GLOBO mostrou no início de dezembro, mais de 400 mil brasileiros podem reaver as perdas na poupança causadas durante por planos econômicos nos governos Collor e Sarney. As quantias, nesses casos, podem chegar a até R$ 100 mil.

Outra forma é resgatar o crédito daquela nota fiscal em que o CPF foi registrado. O GLOBO preparou uma lista de recursos que podem te ajudar a começar 2024 com mais dinheiro.

1 – Dinheiro dos governos Collor e Sarney

Dinheiro esquecido dos Governos Collor e Sarney — Foto: Editoria de arte
Dinheiro esquecido dos Governos Collor e Sarney — Foto: Editoria de arte

Brasileiros que sofreram prejuízos em contas de poupança com a implementação dos planos econômicos dos governos Collor e Sarney têm direito a reparação. Os planos que fazem parte do acordo são: Bresser (1987), Verão (1989), Collor I (1990) e Collor II (1991).

Levantamento da Febrapo aponta que 470 mil brasileiros podem reaver suas perdas, a quantia pode variar de R$ 3 mil a até R$100 mil. Ainda de acordo com a entidade, mais de 300 mil pessoas já foram beneficiadas pelo acordo coletivo.

O valor do acordo depende do saldo base existente na data do plano. Após a adesão, o dinheiro é devolvido em até 15 dias.

Quem tem direito a receber?

Todos os correntistas ou seus herdeiros que ajuizaram ações individuais ou executaram sentenças de ações coletivas/ ações civis públicas até 11 de dezembro de 2017 têm direito a receber a quantia.

Os interessados em aderir ao acordo devem se habilitar no Portal de Acordos, uma plataforma on-line unificada neste link.

Além disso, há mesas de adesão diretamente com os bancos e mutirões organizados pelo Poder Judiciário, informa a Febrapo.

Todas as adesões, independentemente da forma em que sejam celebradas e processadas, devem ser lançadas e registradas no Portal de Acordos pela instituição financeira.

Os poupadores tem o prazo de 60 meses para se habilitar após a homologação do Termo Aditivo pelo STF, ocorrida em 28 de maio de 2020.

CPF na Nota Fiscal — Foto: Editoria de arte
CPF na Nota Fiscal — Foto: Editoria de arte

A inclusão do CPF na nota fiscal é uma forma de os estados terem maior controle do recolhimento de impostos no comércio e combater a sonegação. Mas o cidadão tem benefícios ao incluir o CPF na nota, em alguns estados é possível até mesmo resgatar os créditos.

Em São Paulo, por exemplo, o programa Nota fiscal Paulista devolve até 30% do ICMS efetivamente recolhido pelos estabelecimentos comerciais aos consumidores. De acordo com a Secretaria de Fazenda e Planejamento do estado, já foram devolvidos cerca de R$ 18,3 bilhões — entre créditos e prêmios.

Os créditos permanecem à disposição dos consumidores por um ano, a contar da liberação, e podem ser utilizados a qualquer momento dentro desse período. Em dezembro, vencem cerca de R$ 13,7 milhões liberados em dezembro de 2022 para mais de 11 milhões de pessoas.

De acordo com a Serasa estes são os estados que possuem algum programa de CPF na nota: Rio Grande do Sul, Maranhão, Rio de Janeiro, Alagoas, Minas Gerais, Bahia, Pará, Amazonas, Ceará, Sergipe, Rio Grande do Norte, Rondônia, Paraná e Distrito Federal.

3 – Restituição do Imposto de Renda

Restituição do Imposto de Renda — Foto: Editoria de arte
Restituição do Imposto de Renda — Foto: Editoria de arte

Mais de um milhão de contribuintes caiu na malha fina entre março e setembro desde ano, segundo a Receita Federal, por inconsistências nas declarações do Imposto de Renda. Do total, apenas 2% das declarações retidas não têm valor de Imposto a Restituir, nem a Pagar.

Para saber se você tem algo a receber, acesse a página da Receita na internet, clique em “Meu Imposto de Renda” e, em seguida, “Consultar a Restituição”. Depois, clique no botão iniciar e coloque seu CPF.

Se identificar alguma pendência na declaração, você pode retificá-la, corrigindo as informações que estão erradas.

Saque do Pis/Pasep — Foto: Editoria de arte
Saque do Pis/Pasep — Foto: Editoria de arte

O Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) são contribuições tributárias realizadas pelas empresas e órgãos públicos. O objetivo é financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita destas entidades.

De acordo com o Ministério do Trabalho, no PIS/Pasep 2023 (ano-base 2021) foram identificados 24.508.476 trabalhadores com direito ao abono salarial. Os que ainda não compareceram às unidades pagadoras para receber são 540.892 trabalhadores. A quantia disponível para saque, segundo a pasta, é da ordem R$ 535,8 milhões.

Como saber se tenho direito ao PIS/PASEP?

É preciso se enquadrar nos seguintes critérios:

  • Ter recebido por pelo menos 30 dias de trabalho em 2020;
  • Ter trabalhado com carteira assinada em 2020;
  • Ter recebido, em média, até no máximo dois salários mínimos mensais em 2020;
  • Estar inscrito no PIS-Pasep há pelo menos cinco anos;
  • Que o seu empregador tenha atualizado seus dados na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Como consultar o valor do PIS/PASEP?

Para ter acesso às informações do Abono Salarial na Carteira de Trabalho Digital, é necessário que o trabalhador atualize o aplicativo, depois acesse a aba Benefícios e Abono Salarial, para verificar o valor, dia e banco de recebimento.

Para obter o documento digital, o trabalhador vai precisar do número do CPF e deverá criar uma conta autenticada no portal gov.br.

Também é possível baixar o app no site da caixa .

5 – Saque-aniversário do FGTS

Saque-aniversário do FGTS — Foto: Editoria de arte
Saque-aniversário do FGTS — Foto: Editoria de arte

O saque-aniversário é uma modalidade de resgate dos recursos do FGTS . Ele permite que o trabalhador saque uma parcela do FGTS no mês do seu aniversário. Até hoje, 34 milhões de trabalhadores optaram pela antecipação da modalidade. Somente no período de 1º de janeiro a 6 de dezembro de 2023 foram sacados R$ 14,4 bilhões.

Antes de solicitar o resgate, o trabalhador deve verificar o saldo das contas no App FGTS ou pelo site www.caixa.gov.br/extrato-fgts , informando o CPF ou o NIS (Número de Inscrição Social, também chamado de PIS/Pasep ou NIT). É preciso realizar um cadastro, caso já não o tenha



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here