Wednesday, June 19, 2024
HomeChina diz "Difícil" Participar das negociações de paz na Ucrânia sem a...
Array

China diz "Difícil" Participar das negociações de paz na Ucrânia sem a Rússia

A China disse na sexta-feira que seria “difícil” participar de uma conferência planejada sobre a guerra na Ucrânia.

Pequim:

A China disse na sexta-feira que seria “difícil” participar de uma conferência planejada sobre a guerra na Ucrânia no próximo mês, na Suíça, se a Rússia não participasse.

Embora a China diga ser uma parte neutra no conflito na Ucrânia, tem sido criticada por se recusar a condenar Moscovo pela sua ofensiva.

A Ucrânia está a tentar aumentar a participação na conferência de paz de Junho, onde espera ganhar amplo apoio internacional para a sua visão dos termos necessários para acabar com a guerra da Rússia.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, instou a China a participar, mas Pequim insistiu na sexta-feira que qualquer cimeira precisaria da participação da Rússia, o que a Ucrânia rejeitou.

Pequim acredita que a conferência “deveria ter o reconhecimento da Rússia e da Ucrânia, participação igualitária de todas as partes e discussão justa de todos os planos de paz”, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Mao Ning, em entrevista coletiva regular.

“Caso contrário, será difícil para a conferência desempenhar um papel substancial na restauração da paz”, disse ela.

“A organização da reunião ainda está aquém dos requisitos da China e das expectativas da comunidade internacional, tornando difícil a participação da China”, disse Mao.

Moscovo considerou “absurda” a ideia de uma cimeira de paz sem a Rússia.

“Desde o início, a China falou sobre a futilidade de realizar tais cimeiras sem a participação da Rússia”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos jornalistas na sexta-feira.

“Procurar opções para uma solução para o conflito ucraniano sem a participação da Rússia é absolutamente ilógico, fútil e uma perda de tempo”.

À margem do Diálogo Shangri-La em Singapura, na sexta-feira, o principal oficial de defesa da China reiterou a “posição objetiva e imparcial” de Pequim sobre a guerra, de acordo com um porta-voz.

“Honramos o nosso compromisso de não fornecer armas a nenhum dos lados do conflito”, disse o porta-voz Wu Qian, após o raro encontro entre o secretário da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, e o chinês Dong Jun.

“Implementamos controles rigorosos sobre as exportações de itens militares”, disse Wu.

“A China continuará a promover resolutamente as conversações de paz e a desempenhar um papel construtivo, mas opomo-nos firmemente a que os Estados Unidos transfiram a culpa para nós”, disse ele.

O Ministério das Relações Exteriores da Suíça disse na sexta-feira que tomou nota da posição chinesa, acrescentando: “A Suíça e a China compartilham os mesmos princípios em relação à organização de uma conferência de paz.

“Deve permitir uma discussão justa de todos os planos de paz, envolver toda a comunidade internacional, em particular os países do Sul Global, e envolver a Rússia.

O ministério disse que estava “trabalhando ativamente para envolver a Rússia”.

(Exceto a manchete, esta história não foi editada pela equipe da NDTV e é publicada a partir de um feed distribuído.)

Fornte

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Recent Comments